Categorias
Bolsa de Valores

Você sabe o que é a OPA – Oferta Pública de Aquisição?

É como se a companhia estivesse “fechando” o seu capital na bolsa de valores, quer entender mais?

Da mesma maneira que a IPO – Oferta pública Inicial, a OPA é como se fosse o fechamento das ações que aquela empresa propôs. Portanto é como se a companhia estivesse “fechando” o seu capital na bolsa de valores.

Basicamente quando uma empresa resolve operar na bolsa de Valores, ela precisa fazer uma oferta pública inicial, ou seja, abrir um capital naquele determinado negócio. Existem alguns fatores que também devem ser levados em consideração, tanto para abrir quanto para fechar na B3 (Bolsa de Valores).

Mesmo que você seja uma pessoa física, é importante saber o que são essas ofertas e para que elas servem, pois você pode ser um acionista de uma empresa que acaba de dar entrada em uma OPA por exemplo, e é essencial saber o porquê isso ocorreu.

O que é a OPA e como ela funciona?

A OPA, é como falamos acima, uma oferta pública de aquisições, ou seja, o inverso da IPO (oferta pública inicial). Então isso significa que a empresa que possuem as ações na bolsa, acaba de fechar o seu capital na mesma, ou seja, todas as negociações que pertenciam a ela, deixarão de existir.

Existem duas OPAs basicamente: A OPA obrigatória, basicamente serve para ajudar aos investidores minoritários (como você, e pequenos investidores), então é uma forma de colocarem eles em um bom patamar também com ações relevantes do mercado.

Portanto, é quando você precisa realizar o fechamento do registro de capital por alguns motivos, como: Aumento da participação do controlador que acaba gerando uma diminuição da liquidez então as ações acabam ficando mais baratas do que o seu valor habitual; Venda da empresa para outro controlador e quando a empresa não precisa mais desses recursos externos, então é como se suas ações não fossem mais negociadas, nesse caso o melhor caminho é fazer uma OPA.

Existe também a OPA voluntária, é quando o ofertante faz pelo seu próprio perfil, ou seja, ele pega determinada ações mais relevantes no mercado e anuncia, quem quiser participar pode e quem não quiser, fica de fora. Essa acaba sendo mais livre.

Eles podem optar pela voluntária quando a empresa não precisar mais dos recursos da bolsa ou quando o controlador quer aumentar a sua participação, sendo assim para os investidores minoritários acaba ficando ruim.

Existe toda uma regulamentação da CVM para realizar uma OPA, ele é como se fosse o investigador, onde analise todos os pontos precisos para fazer essa determinada ação.

Como os acionistas da empresa ficam nessa história?

Normalmente dentro de algumas regras e análises da CVM, é dado o início da OPA e sugerido que faça um relatório sobre o porquê disso tudo estar acontecendo. Logo depois da análise, caso o pedido for aceito, é determinado em um processo o valor de cada ação e repassado aos acionistas.

Se os acionistas concordarem com esse valor, é pago uma quantia para cada um, se não, é preciso elaborar uma assembleia e decidir o que será e como será feito todo o procedimento de pagamento. Isso corresponde a mais de 10% dos mesmos não concordarem.

Quais são os fatores escolhidos para a oferta?

Existem alguns aspectos considerados para uma OPA ser realizada, lembrando que o investidor não é obrigado a participar da mesma. Sendo as três: Fluxo de caixas futuros, preço médio da ação nos últimos 12 meses e patrimônio líquido por ação.

Quem vai fazer essa oferta? Geralmente o comprador, que pode ser tanto o próprio dono da empresa quanto um concorrente, ou alguém que comprou o sistema de controle da companhia. Ninguém é obrigado a aceitar o valor proposto e nem a participar.

Como o pagamento é realizado aos acionistas?

Algumas formas delas são, por compra, onde o acionista entrega as suas ações e em troca ele recebe uma remuneração em dinheiro por isso, essa é uma das formas mais comuns. A segunda é por permuta, ou seja, depois de grandes análises da CVM, você recebe as ações da nova empresa (também é opcional).

Um outra forma é a mista, que nada mais que receber em dinheiro uma parte das mesmas, ou em novas ações, por ter mudado o controle administrativo da empresa e conforme a CVM, ter sido lançada novas aplicações no mercado.

Talvez não valha muito a pena participar da OPA de uma empresa, porque o valor ofertado normalmente é baixo e você acaba alguns tipos de investimentos mais limitados, porque quando a companhia passa por esse procedimento você não consegue mais investir na mesma.