Categorias
Investimentos

Reserva de emergência: em 5 passos

Dicas maravilhosas para ter dinheiro disponível sem depender do banco, para quando precisar

Para começar, você precisa definir o que é emergência para você, por exemplo coisas essenciais, se você não vive sem uma academia e mesmo nessa quarentena não consegue treinar em casa, isso é um serviço que entra na parte prioritária da sua vida.

Então pegue agora na sua casa uma caneta e um papel e faça as suas anotações sobre todos os seus gastos, e também procure dividir as despesas como primeiros, segundos e até terceiros planos, portanto coloque o que você considera essencial, os extras, lazer, entre outros.

Depois de ter tudo bem definido, você já pode começar a montar a sua reserva de emergência, sendo ótima em diversos casos, pois nunca sabemos o que pode acontecer não é mesmo? Fique atento que traremos as 5 dicas de como montar a sua!

1º O que é a reserva de emergência?

A reserva de emergência nada mais é do que uma caixinha de primeiros socorros, onde ela está lá no seu armário prontinha para quaisquer eventualidades, porém você nunca espera utilizá-la. E a caixa da emergência você já tem?

Ela funciona basicamente com a mesma função, e é importante você saber o que ela realmente é pra evitar que em alguma situação mais embaraçosa, onde talvez não é preciso mexer nela, você acabe pegando o que tem ali dentro e depois se arrependa.

Esqueça que ela existe quando tudo estiver bem, é importante que você utilize apenas para EMERGÊNCIAS! Mas não qualquer uma, uma situação realmente grave.

2º Como eu a calculo?

O cálculo diferencia de pessoa por pessoa, mas basicamente você precisa realiza-lo em cima de um custo de vida de 6 meses (atenção não é o salário), dentro disso você precisa rever tudo o que você gasta no mês, como contas fixas, gastos variáveis, extras, supérfluos entre outros.

Vamos aos exemplos: Supondo que você ganhe R$ 5 mil reais e gasta R$ 4 mil, então você irá fazer o cálculo de 4 (nº de gastos mensais) x 6 (nº de meses) = 24 mil reais. Ou seja, a sua reserva de emergência tem que ser desse valor, portanto faça o seu próprio orçamento e depois veja quanto dá o resultado.

Se pra você ficar mais fácil, faça uma tabela no Excel, no Word ou até mesmo em um caderninho que você tem ai na sua casa, mas não deixe de colocar a amostra o seu orçamento por completo.

3º Não acumule na poupança

Não é bom deixar nenhum dinheiro guardado na poupança, porque a rentabilidade que ele te traz é mínima. Portanto essa alternativa, exclua permanentemente da sua vida, pois os juros e imposto de renda delas não te ajudam em nada de retorno.

Você pode acumular a sua reserva em outras plataformas como no tesouro Selic, apesar da taxa está muito baixa ele acaba rendendo muito mais do que a poupança então essa é uma opção válida. Outra forma é colocar em fundos de liquidez diárias como CDBs entre outros.

Acumular em dinheiro em fundos com liquidez diária tem um ponto positivo e outro negativo, o bom é que você consegue tirar o dinheiro facilmente, ou seja, a qualquer momento, agora o ruim é que algumas pessoas que não tem muito controle, tem fácil acesso e acabam mexendo no dinheiro em hora que não deve!

4º Quando usar a reserva de emergência?

Como falamos acima, ela é uma reserva apenas destinado a emergências, ou seja, capinha de celular, praia, festa, viagem entre outras coisas desse tipo não são algo prioritário. Portanto use esse dinheiro quando alguém ficar doente e precisar comprar por remédios, quando você perder o emprego mais algumas situações bem embaraçosas que pode acabar acontecendo.

O ideal é sempre saber quando apertaro o botão da sua reserva, assim nunca ficará na ão e poderá se restabelecer novamente. (Foto: reprodução)
O ideal é sempre saber quando apertaro o botão da sua reserva, assim nunca ficará na ão e poderá se restabelecer novamente. (Foto: reprodução)

Uma coisa importante é, muitas pessoas fazem viagem internacional, intercâmbio e por incrível que pareça, a maioria não tem uma reserva de emergência caso ocorra algo inesperado. Tudo pode acontecer, você pode chegar em outro lugar, se machucar e precisar de serviços médicos, portanto pra viagens desse tipo, também é importante você fazer, mas faça uma própria para este caso (caso seja uma viagem mais longa, faça o mesmo cálculo, caso seja um curto período recalcule dentro de suas condições).

Gente, é muito importante ter essa reserva e saber que ela é intocável, porque estamos todos em um teto de vidro, onde a qualquer momento pode acontecer qualquer coisa conosco, então evite usar em casos que você pode resolver de outra forma.

5º Como se controlar?

Primeira coisa é, não confie em você, então se você é uma pessoa impulsiva que não tem jeito, acaba resgatando aquele dinheiro, tente colocá-lo em uma plataforma que você consiga resgatar em médio a longo prazo, como tesouros diretos, entre outros.

Se você achar válido, compartilhe seu propósito com um amigo, parente, família, a alguém que seja próximo de você e que possa te ajudar a controlar esses gastos, parece que não mas isso dá certo.

Quando você estiver pensando em gastar o dinheiro, faça qualquer coisa para seu cérebro se reajustar, pense em outra coisa, vá falar com a família, se distraia e esqueça daquela história. Uma coisa importante também é, coloque um nome em sua reserva de emergência, como se fosse algo que você quer conquistar, isso te direciona e ajuda a manter o foco de guardar o seu dinheiro.