Categorias
Notícias

Renda Fixa: o que é e como ela funciona

Entenda tudo sobre o que é a renda fixa e como acontece seu funcionamento

Se você tem um perfil de investidora ou investidor mais conservador, a renda fixa então é uma boa opção para você começar a investir e entender de uma vez por toda como funciona esse lance de aplicações e investimentos.

Na renda fixa você tem diversos tipos de modalidades, e tem a opção de escolher se você quer aplicar para resgatar a um curto, médio ou longo prazo, assim você consegue escolher o investimento perfeito para os seus objetivos.

Então iremos citar aqui algumas dessas modalidades para você conhecer o básico dos investimentos, aprimorar seus aprendizados em mercado financeiro e também a começar a investir na prática. Você verá que será muito simples!

O que é renda fixa?

Renda fixa é uma modalidade de investimento indicada para pessoas com um perfil mais conservador, ou seja, que não quer perder o seu dinheiro em aplicações mais arriscadas. No momento da compra de um papel de renda fixa, você determina prazo, valor aplicado, vencimento, e pode escolher ou não, saber a rentabilidade que vai ganhar no final do período determinado.

Na renda fixa, é como se você emprestasse seu dinheiro para o governo, banco ou outras instituições financeiras e recebesse uma remuneração por isso. Portanto, como falamos acima, existem categorias que te permitem saber quanto você vai ganhar de rentabilidade no final, ou aquela que muda conforme a inflação.

Existe risco de perder o dinheiro na renda fixa? Sim, mas é mínimo e mais difícil de acontecer do que na renda variável. Normalmente você vai procurar investimentos que tenham a ver com você, e com disciplina e paciência você consegue aplicar.

Qual é o rendimento da renda fixa?

Os rendimentos são variáveis, então depende do tipo de aplicação que você escolheu e do período determinado no valor da compra do papel. Normalmente eles acabam seguindo um padrão, como o CDI e a taxa básica de juros Selic.

CDI

Falando um pouco sobre o CDI Certificado de Depósito Interfinanceiro, ele basicamente é uma média dos juros cobrados nas aplicações normalmente de curto prazo, onde é feito dia a dia. As operações mais comuns da renda fixa, tem sua remuneração baseada no CDI, então pode ser que você veja várias categorias escritas: “100% do CDI, 80% do CDI”.

Essa rentabilidade funciona como uma referência, então não é possível você aplicar em CDI, mas pode investir em negociações que tem a taxa dele como referência. Supondo que a taxa do CDI caixa ou suba, o investimento atrelado a ele, oscilará da mesma maneira.

Normalmente é indicado investimentos que são acima de 100% atrelados ao CDI, porque quanto maior o número, maior a sua rentabilidade. Percentuais menores, talvez não valham muito a pena, pois você pegará apenas uma parte da taxa do CDI.

Selic

A Selic é a taxa básica de juros da economia, ela é uma referência para o governo pagar suas taxas de remuneração e todas as operações de crédito, ou seja, renda fixa. Basicamente ela é bem parecida com a taxa do CDI.

Alguns investimentos se baseiam nela, como tesouro Selic, títulos públicos do tesouro direto, entre outros investimentos mais comuns da renda fixa. Atualmente não está valendo muito a pena investir nesse tipo de negociação, pois a taxa Selic está muito baixa, e ela varia de acordo com inflação e acontecimentos no mercado financeiro, ela já chegou a se 14% ao ano, hoje ela rende 2%.

Isso é ruim para quem quer investir, mas para quem tem algum financiamento, talvez seja bom, assim não precisa pagar um valor absurdo de juros em suas parcelas.
Modos de cada investimento

Na renda fixa, em todos os investimentos você tem um modo de “escolher” a sua rentabilidade, podemos encontrar os três mais comuns dessas operações:

  • Pré-fixados: Onde é determinado na hora da compra o valor que você receberá lá no final do período determinado;
  • Pós-fixado: Esses você não sabe o valor que irá receber no momento da compra, pois ele varia de acordo com a taxa Selic e CDI, ou seja, ao longo do período determinado ele pode sofrer modificações;
  • Híbrido: É uma mistura dos dois, então dentro de um investimento, ele pode ter tanto taxas mais fixas quanto mais variáveis.

Quais são os principais investimentos da renda fixa?

Existem alguns investimentos que são mais comuns na renda fixa, iremos citar alguns deles aqui e suas características, para você escolher o perfeito, basta ler e interpretar qual é o melhor para seus objetivos.

LCI e LCA:

Letra de Crédito Imobiliário e Letra de Crédito de Agronegócios, ou seja, ambas são providas de instituições financeiras e sua principal diferença é que uma é mais dedicada a um setor imobiliário e a outra aos agronegócios. Possuem uma rentabilidade menor, porém são isentas de imposto de renda, se te interessou, você pode fazer uma simulação de investimento dessa categoria.

CRI e CRA:

Certificados de Recebíveis Imobiliários e Certificado de Recebíveis do Agronegócio. Eles são um pouco mais complicado do que os LCIs e LCAs, pois são baseados em financiamento ou pagamento de parcelas de aluguel mensalmente, então ele “depende” desse dinheiro. Um bom exemplo, é quando uma construtora precisa do dinheiro de um imóvel a curto prazo, porém a pessoa parcelou em 20x, normalmente junta isso a um CRI de futuro e o vende no mercado. Ele é isento de imposto de renda, porém não tem garantia de FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Se te interessou, você pode fazer uma simulação de investimento dessa categoria.

Debêntures:

São como emprestar dinheiro para as instituições financeiras e receber uma boa remuneração por isso, eles tem mais chance de trazer rentabilidade, mas a chance de perder também aumenta. Você pode resgatar o dinheiro somente no dia do vencimento, e ele trabalha com alguns tipos de garantia, como subordinada, quirografica, e real. Se te interessou, você pode fazer uma simulação de investimento dessa categoria.

CDBs:

Certificado de Depósitos Bancários, é como se eles levantassem dinheiro emitindo esses certificados. Seus rendimentos se referenciam as taxas básicas, como a CDI. Eles contam com o FGC e tem descontados o percentual do imposto de renda. Se te interessou, você pode fazer uma simulação de investimento dessa categoria.

Títulos públicos:

São predispostos de forma mais segura, e é como se você emprestasse dinheiro para o governo, assim mantendo o funcionamento dos processamentos públicos. Existem algumas taxas, como por exemplo a da B3, então é preciso procurar bem sobre as mesmas. Os tesouros são inclusos nessas modalidades, como o direto, IPCA entre outros. Se te interessou, você pode fazer uma simulação de investimento dessa categoria.

Conclusões

Existem vários tipos de renda fixa que você pode investir, e para encontrar o perfeito, faça uma simulação antes de começar a aplicar e depois comece a comparar com as outras modalidades que tem, assim você conseguirá encontrar o melhor investimento de renda fixa para você.

Com informações de Infomoney e Rico