lllll
Categorias
Notícias

Pix do Banco Central será gratuito, mas não pra todos

Este pode ser o fim dos TEDs e os DOCs

Quando o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, anunciou em fevereiro a chegada do Pix no Brasil, várias perguntas começaram a surgir sobre o funcionamento e quem pagará pelo serviço.

Com toda a certeza o Pix vai ajudar muito a otimizar os serviços de transferências entre contas no Brasil. Mas atente-se, pois nem todos terão o sistema de forma gratuita.

O que é o Pix?

O Pix é uma forma de pagamento instantânea que será adotada no Brasil até novembro deste ano. Todas as instituições financeiras com mais de 500 mil correntistas serão obrigadas a aderirem ao Pix, sendo que mais de 140 empresas já se cadastratam para receber tal tecnologia.

Tido como o sucessor dos TEDs e os DOCs, o dinheiro chega até outra conta, seja de pessoa física ou empresa, em fração de segundos, não sendo mais preciso esperar ser um dia útil em horário comercial para que aconteça, sendo que o dinheiro será transferido em instantes.

Além do método de pagamento convencional, o Pix ainda funcionará por meio de QR Code, CPF ou até mesmo número de telefone da pessoa que vai receber o dinheiro.

Será de graça?

Se você possui uma empresa e deseja aderir ao método Pix quando o mesmo chegar ao mercado, já prepare seu bolso, pois afinal as pessoas jurídicas (empresas) serão as únicas a pagarem pelo serviço.

As pessoas físicas não precisarão pagar nada a mais para poderem utilizar o Pix com a intenção de poderem utilizar com mais frequência de acordo com o BC, mas para isso as empresas devem aderi-lo.

Para isso, é esperado que as instituições financeiras desenvolvam negócios atrativos com o Pix para as empresas para fazer com que as mesmas tenham interesse em aderir a modalidade.

Saque em lojas?

Outro fator que pode ajudar as empresas (lojas especificamente) a adentrarem ao Pix é justamente a nova modalidade de saque nas lojas.

Funcionará da seguinte forma: Ao fazer um saque, o cliente pega o dinheiro que estava na loja e a loja recebe a quantia em sua conta. Com isso, o lojista não vai ter que fazer o depósito desse valor, sendo que a pessoa já fez isso por ela.

Além da promessa de diminuir as idas aos caixas eletrônicos, o saque nas lojas pode ajudar a aumentar o movimento da loja, fazendo que os empresários olhem o Pix com mais atenção.

*Com informações do Tecnoblog, Terra e OlharDigital.