Categorias
Bolsa de Valores

Mulher na Bolsa: Economistas em destaque

Para aqueles que acompanham alguns canais informativos, certos nomes de colunistas e comentaristas acabam se tornando referência no mundo dos negócios

Quais são alguns dos profissionais financeiros com maior evidência e sucesso no mercado brasileiro? Conheça algumas das economistas que conquistaram grande notoriedade.

Para aqueles que acompanham alguns canais informativos, certos nomes de colunistas e comentaristas acabam se tornando referência no mundo dos negócios. Pensando em finanças e na economia, um nome feminino reconhecidíssimo é a da Miriam Leitão, mesmo não sendo economista de formação.

Entre tantas personalidades influentes, duas economistas merecem destaque:

ELIZABETH FARINA

Formada pela Universidade de São Paulo desde 1983 atuou em diversos segmentos econômicos. Durante 4 anos foi Presidente do CADE, Conselho Administrativo de Defesa Econômica, que é uma autarquia federal. O CADE atua como fiscalizador e mediador dos agentes econômicos para que a livre concorrência entre os mercados não seja negligenciada. Entre 2004 a 2008, Farina foi atuante em diversos assuntos, dentre os quais: elaboração de políticas modernas para o controle de fusões e aquisições, a concorrência do setor bancário, entre outros.

Economista desde 1983 pela Universidade de São Paulo (Foto: Everton Amaro/Fiesp)
Economista desde 1983 pela Universidade de São Paulo (Foto: Everton Amaro/Fiesp)

Em 2012 se tornou a Presidente Executiva (CEO) da ÚNICA, União da Indústria de Cana-de-Açúcar, caracterizada por ser a maior entidade representativa do setor sucroalcooleiro. Em 2014 enfrentou uma das maiores crises contemporâneas do setor, centenas de usinas faliram, as instabilidades políticas internas dificultaram muitas manobras de salvaguarda para os empresários, e acrescidos a isso, foram meses de grandes desvalorizações das commodities nacionais.

No final de 2019 foi convidada para integrar o Conselho Administrativo da Bonsucro, uma organização mundial sem fins lucrativos composta por mais de 100 membros em 27 países, que busca minimizar os impactos ambientais e sociais da produção da cana-de-açúcar sem perder viabilidade econômica. Toda sua expertise, desde competitividade entre mercados ao mundo das commodities brasileiras, influenciou importantes tomadas de decisões.

DENISE PAVARINA

Formada pela Fundação Armando Alvares Penteado em 1984 trabalhou por mais de 30 anos no Bradesco, e foi a primeira mulher a ter um cargo de liderança no banco. Seu último cargo foi como Diretora do Bradesco Asset Management, área especializada na gestão de recursos com grandes carteiras de clientes. Também foi Presidente da Anbima (Associação Nacional dos Mercados e de Capitais) por 4 anos, além de atuar como um dos membros de diversos conselhos administrativos: da Vale, da B3 (resultado da fusão entre a BM&FBOVESPA e a Cetip), da Cielo, Arcelor Brasil, Alpargatas e Latasa.

Economista desde 1984 pela FAAP (Foto: Paulo Fridman/Bloomberg via Getty Images)
Economista desde 1984 pela FAAP (Foto: Paulo Fridman/Bloomberg via Getty Images)

Em algumas entrevistas dadas ao longo de sua carreira sempre pontuou que sempre fora uma mulher rodeada por homens nos escritórios. Mesmo hoje sendo uma década onde a temática de gênero no mercado de trabalho é altamente discutida, discutir suas problemáticas dentro do mundo das finanças é algo novo. Mas essa discussão tem ganhado força dentro dos próprios conselhos regionais de economia de diversos estados brasileiros. Como resultado, foram criados os Fóruns de Mulheres Economistas. Dentro desses fóruns diversas mulheres economistas trazem apontamentos das dificuldades que o gênero feminino enfrenta, e o que podem enfrentar ao escolher essa carreira.

O futuro tem promissores caminhos para a entrada de mais mulheres no mundo das finanças, dos investimentos e dos negócios. Ainda mais diante de grandes exemplos de mulheres, que há décadas trilharam e escreveram tão bem as suas histórias.


Carolina Peres Juvenal, Economista pela Faap/SP
Carolina Peres Juvenal, Economista pela Faap/SP

A Carol questiona: O que é a economia? Há centenas de anos respondem a pergunta com teorias diferentes. Mas cada resposta foi influenciada pelo seu tempo. Qual seria o significado da economia para o nosso tempo?

“A verdadeira dificuldade não está em aceitar idéias novas, mas escapar das antigas” John Maynard Keynes