Categorias
Investimentos

Entenda o que é FGC, o Fundo Garantidor de Crédito

O Fundo Garantidor de Crédito pode te dar uma maior confiança na hora de investir.

Todos correntistas e investidores têm seu dinheiro protegido pelo FGC, a sigla que designa o Fundo Garantidor de Créditos. Ou seja, em caso de falência, intervenção ou liquidação da instituição financeiras o FGC garante que a pessoa recupere até R$ 250 mil de seu investimento.

Tudo o que você precisa saber

O FGC é uma entidade privada sem fins lucrativos, que foi criada para caso de risco sistêmico. O risco sistêmico refere-se ao risco de colapso de todo um sistema financeiro ou mercado, com forte impacto sobre as taxas de juros, câmbio e os preços dos ativos em geral, e afetando amplamente a economia, em contraste com o risco associado a uma entidade individual, um grupo ou componente de um sistema.

Diante disso, os bancos criam uma união para evitar que o Sistema Financeiro Nacional (SFN) quebre. Para que não ocorra essa quebra existem vários mecanismo de proteção e o Fundo Garantidor de Crédito é um desses.

O Fundo é mantido pelas contribuições das instituições financeiras associadas, que contribuem mensalmente com 0,01% do total dos seus depósitos cobertos pela garantia.

O FGC cobre investimentos como CDB (Certificado de Depósito Bancário), LCI (Letra de Crédito Imobiliário), LCA (Letra de Crédito Agronegócio), Letra Hipotecária, Letra de Câmbio, Letra Imobiliária, poupança, dinheiro em conta, entre outros produtos. No caso de investimento em Tesouro Direto o fundo não cobre, pois é um tipo de Título Público, ou seja, é protegido pelo governo.

O limite de crédito por CPF é até R$ 250.000,00, em média o tempo para o investidor receber seu valor é de 3 meses. Em contas conjunta há uma divisão e passa a ser R$ 125.000,00 por CPF.

“Em novembro de 1995, nasce o Fundo Garantidor de Créditos – FGC (CNPJ nº 00.954.288/0001-33), uma associação civil, sem fins lucrativos, com personalidade jurídica de direito privado. Muito mais do que “pagador de dívidas”, que só surge em cena em momentos dramáticos, o FGC conta com profissionais preparados para agir de maneira preventiva em todo o sistema bancário e financeiro, atuando de maneira pontual e, muitas vezes, silenciosa para garantir um funcionamento fluido e harmônico de todo o sistema”, diz o sobre do FCG.

Para quem tem valor maior que 250 mil o melhor a fazer para se proteger é aplicar em produtos de vários bancos. Por exemplo, se tem 400 mil, invista 200 mil em um CDB de um banco e 200 mil em um CDB de outro banco. É importante saber que o FGC só cobre até 250 mil, então se você investiu 400 mil em um banco e ele quebra, só receberá 250 mil. Dividindo o dinheiro em varias instituição financeira, é diversificar investimentos e isso permite ter seu dinheiro mais seguro, contra quebra de banco.

*Com informações do FCG.