Categorias
Bolsa de Valores

Como começar a investir em ações

Não é só decidir em quais ações aplicar e começar a formar uma carteira…

Você encontrar ações para investir na Bolsa de Valores, existem muitas formas, métodos e estratégias para negociar nesse mercado de renda variável. É preciso estar por dentro de tudo para não sair perdendo, e se você está pensando em entrar nesse ramo, vai gostar de saber do passo a passo para começar já, além dos detalhes básicos dessa área.

Começando do começo

Primeiramente ações são uma parte do capital de uma empresa, parte das ações pertence aos empreendedores, parte a outros sócios e também uma parte pode ser negociada na bolsa de valores, a fim de gerar dinheiro para o caixa da empresa ou então para o proprietário.

As ações são tratadas como papéis no mercado, e quem comprar esses papéis são acionistas, pessoas que investem na bolsa de valores. Ao comprar ações de uma companhia aberta, os investidores em geral têm o objetivo de compartilhar dos ganhos que ela obtém.

Como isso funciona? As empresas distribuem dividendos, que são parte dos seus resultados, e a partir disso são pagos aos investidores na proporção do número de ações que eles possui. Cada investidor também pode vender suas ações para outros investidores por um preço maior, isso se chama “valorização das ações”. As cotações variam com o tempo, conforme as companhias crescem e também de acordo com os movimentos da economia e do mercado, a mesma ação pode valer ainda mais depois ou menos.

A estratégia mais adequada para investir em ações vai depender do perfil do investidor e seus objetivos, mas também do momento e das condições do mercado. Um Day trade por exemplo, são os investidores que fazem as negociações das ações em curtíssimo prazo. É basicamente uma operação que combina a compra e a venda de uma mesma ação em um mesmo dia, pelo mesmo investidor, usando a mesma conta e na mesma corretora. Nessa modalidade as corretoras, costumam praticar taxas de corretagem mais baratas do que nas operações tradicionais.

As ações são tratadas como papéis no mercado, e quem comprar esses papéis são acionistas
As ações são tratadas como papéis no mercado, e quem comprar esses papéis são acionistas

Também tem os Swing trade, quando as ações são negociadas em curto prazo, considerando de alguns dias, semanas ou meses, até um ano. Mesmo com a compra e a venda não sendo finalizadas no mesmo dia, as operações de curto prazo ainda exigem um acompanhamento constante do mercado, pois se baseiam em achar oportunidades de ganho em pouco tempo.

Já as operações de longo prazo são chamada de Position trade, em que as posições em ações são mantidas por mais tempo. Acontece que, algumas empresas demandam de tempo para a receita cresce e os resultados aparecem, o que no caso em investimento de longo prazo isso traz vantagens, mas no mercado de ações os preços podem tanto subir quanto cair de maneira repentina.

Na forma de dividendos deve-se considerar empresas bem estabelecidas, que tenham as suas receitas crescendo de maneira constante e sem uma necessidade muito grande de investimento, pois essas são boas pagadoras de dividendos. As empresas distribuidoras do setor elétrico são um bom exemplo disso. Os dividendos podem servir também para compra de mais ações, por isso tudo vai depender do perfil e interesse de cada investidor.

Aprenda como investir em ações

O primeiro passo portanto é decidir seu objetivo e perfil e se perguntar: Seu perfil de risco é adequado para aplicar em renda variável? Quais as chances de você precisar do dinheiro no curto prazo?

Para ajudar nessa etapa existe um questionário aplicado pelas próprias corretoras para definir as características comportamentais dos clientes, chamado de Análise do Perfil do Investidor ou Suitability.
Decorrente disso, o próximo passo é buscar por uma corretora, é preciso abrir conta em uma corretora, instituição financeira autorizada a operar no pregão, para poder negociar na bolsa. São elas as responsáveis que recebem as ordens de compra ou de venda e executam as operações na B3 em nome deles. Todas as corretoras cobram taxas de corretagem, no entanto há algumas com taxa bem pequena. A corretora é importante pois facilita o uso dos sistemas de negociação, disponibiliza relatórios e orientações sobre investimentos, entre outros.

O primeiro passo portanto é decidir seu objetivo e perfil
O primeiro passo portanto é decidir seu objetivo e perfil

Depois disso entra a escolha da melhor estratégia, ou seja, prefere focar nos ganhos de curto prazo ou visar o longo prazo. Isso também depende de quanto tempo você estará disposto a dedicar à bolsa de valores cotidianamente, pois as operações em curtíssimo e curto prazo requerem mais atenção, e disponibilidade para estar ativo e atendo na maioria do tempo.

A próxima etapa é escolher entre a mesa de operações ou o Home Broker, são duas formas diferentes de negociação para os investidores. Home broker é um sistema eletrônico em que o próprio investidor cadastra suas ordens de compra e venda, podendo operar diretamente. No home broker, a taxa de corretagem costuma ser de valor fixo, além de ser a forma mais comum. Já a negociação pela mesa de operações o investidor se comunica com um operador da corretora – por telefone, e-mail ou sistemas de mensageria – e envia a ele suas ordens de compra e venda de ações. É esse operador que realiza os negócios em nome do investidor. Esse modelo costuma ser restrito a clientes de alta renda e, nele, as taxas de corretagem normalmente seguem a tabela Bovespa.

Por fim, é só decidir em quais ações aplicar e começar a formar uma carteira. Há 3 opção: optar por um método de análise, decidir por conta própria ou solicitar relatórios elaborados por analistas especializados no mercado de ações e seguir as recomendações deles.