lllll
Categorias
Bolsa de Valores

Bolsa de valores: o que são Opções

Entenda como funciona e como investir no mercado de opções

Opções de ações é um tipo de operação da bolsa de valores, esse é um assunto que causa muita dúvida nos investidores, pois é preciso ter uma boa estratégia para operar nessa modalidade.

As opções de ações consistem no direito de comprar ou vender um determinado ativo, chamado de ativo-objeto, por um preço pré-definido até uma data também pré-estabelecida.

O mercado de opções é extremamente volátil e pode ser explosivo, ele é bem complexo e envolve vencimentos, strike, titular, lançadores, e dependendo seu direito de compra pode até virar “pó”.

O mercado de opções de ações

Opção são considerados derivativos, ações que sobem 100%, 300%, 400%, etc, em contrapartida, quando cai é uma perda muito grande. Por isso, exige muito cuidado nesse tipo de operação. Opções também podem ser consideradas até como uma renda fixa para quem lança, por ser uma operação com pouco risco. Mas realmente na prática as opções é muito volátil.

Existem dois tipos de opções na bolsa de valores, CALL e PUT, onde Call é a opção de compra e PUT a opção de venda. Em Call você compra um direito de comprar alguma coisa, ou seja, você comprar um contrato que te assegura de comprar uma ação por x valor, mesmo que depois suba o preço deste produto. No caso da Put você compra um direito de vender algumas coisa por um preço determinado.

Opções de compra

O mercado de opções oscila bastante, ele é similar ao mercado de imóveis. Vamos ao exemplo: Suponha que você está à procura de um novo apartamento para morar.
Em meio a esta procura você achou um imóvel que julga excelente. No entanto, você ainda não viu todas as opções e ainda pode considerar muitos outros apartamentos.

Embora deseje avaliar outras opções, você ao mesmo tempo não que perder a oportunidade de comprar o imóvel que você julgou como excelente. Dessa forma, você pode através de um contrato de opção de compra, garantir direito de comprar o imóvel pelos próximos 30 dias, podendo assim procurar outros imóveis sem correr o risco de perder sua primeira opção.

Como funciona? Considere que o imóvel que você julgou excelente custa R$ 500 mil. Você pode combinar com o dono do imóvel de lhe pagar R$ 5 mil, através de um contrato.

Dessa forma você garante o direito de comprar o imóvel pelo exato valor de R$ 500 mil, enquanto busca por outras opções, mesmo que depois o valor aumente.
O dono do imóvel tem a obrigação de segurar o imóvel pra você pelo preço e prazo estabelecido em contrato.

Vale lembrar que você está adquirindo o direito de comprar, e não a obrigação. Assim, se você encontrar um imóvel que lhe atende você pode abrir mão do primeiro apartamento considerado, contudo perderá o valor dado como caução. E se caso queira exercer a comprar será preciso pagar o valor de R$ 500 mil, portanto o valor final do apartamento fica por R$ 505 mil.

Dentro isso, ainda você se depara com as opções americanas e européias. Na opção americana você pode exercer o contrato a qualquer momento, e na européia você só pode exercer o contrato no dia do vencimento. Isso significa que se o valor do imóvel subir, por exemplo passa a valer R$ 600 mil, estando dentro do prazo você pode comprá-lo pelo preço inicial combinado de R$ 500 mil e depois vendê-lo pelo preço atual do mercado, por R$ 600 mil e lucrar R$ 95 mil, pois R$ 5 mil você deu como direito de comprar para o vendedor. Isso pela opção americana, caso contrário, só poderá comprar o imóvel no dia do vencimento do contrato, e se acontecer do valor cair, não faz sentido você comprar mais, pois se o valor do imóvel caiu para R$ 400 mil, não tem porque você exercer o direito de compra que é por R$ 500 mil, é melhor perder os 5 mil que deu como caução, depois pegar seu dinheiro e ir lá comprar por R$ 400 mil.

Vendo por outro lado, para você lucrar com uma opção de compra estilo americana, que é a mais usada, o valor do imóvel precisa subir, daí a sua opção de compra passa a valer muito. Exemplo: No caso que o valor subiu para R$ 600 mil, sua opção passa a custar pelo menos R$ 100 mil, sendo assim você acaba nem comprando o imóvel e vende seu direito para outra pessoa, passando a lucra R$ 95 mil. A pessoa que comprou seu direito por R$ 600 mil, vai lá e compra do vendedor por R$ 500 mil.

O que pode ocorrer? Durante o prazo que você tem o direito de compra se não aconteceu nada, e você não exerceu o direito, e no dia seguinte do último dia do vencimento o valor sobe, não tem jeito, você perde o direito de compra, seu contrato não vale mais e simplesmente “vira pó”, e você perde os R$ 5 mil que deu de caução.

Diante de tudo isso, todas essas negociações são transacionadas basicamente entre dois sujeitos: Aquele que deseja comprar, também chamado de titular, e quem deseja vender, denominado de lançador. Onde o titular tem sempre os direitos e ao lançador cabe às obrigações.

O fato mais importante são os vencimentos, as opções na B3 vencem sempre na 3ª segunda-feira do mês, caso seja feriado na segunda passa a vencer n o dia seguinte (terça-feira). O vencimento da ação vai depender da série que ela termina, ao todo são 12 série, que vai de A a L, representando cada mês do ano, de janeiro a dezembro. Então se compra uma PETRA, (PETR de Petrobras + A) significa que é uma ação que vai vencer na 3ª segunda-feira de janeiro, e assim sucessivamente.
Outra coisa é o Strike da opção, que é o valor de exercício dela, que pode ser consultado no home broker. Mas a grosso modo é dita como PETRK22, que quer dizer, uma ação de PETR Call com direito de compra por 22 reais que vai vencer na 3ª segunda-feira de novembro.