Categorias
Bolsa de Valores

Bolsa de valores: o que são as opções? É indicado ou não?

Você já sabe sobre como analisar um candle, quais tipos de investimento existem, como escolher uma corretora na Bolsa

Você já sabe sobre como analisar um candle, quais tipos de investimento existem, como escolher uma corretora na Bolsa? Se sim, agora vamos falar sobre um tema um pouco complexo de se entender e que, além de ser um negócio muito bom para o investidor, pode ser muito ruim também, mas logo iremos explicar que acontece.

O mercado de opções é basicamente uma derivativa onde, pode se encontrar em ascensão e decadência e pouco tempo. Como toda negociação, dentro desse âmbito também existem riscos e é preciso parar e fazer uma análise bem detalhada sobre as suas oscilações para que você consiga traçar uma estratégia e segui-la até o fim.

Vale a pena investir em derivativos? De certa forma não, mas se você quiser contar com a sorte, precisará tê-la em cheio. Os derivativos são como direitos, então você movimenta um negócio baseado neles. Além disso, essa modalidade permite que você faça a alavancagem.

O que são as opções?

Como dito anteriormente, as opções são as derivativas de mercado ativo, que podem subir a 100%, 200% ou até mais, porém quando elas caem, a queda é de 50% para mais também, ou seja, para você conseguir recuperar o seu dinheiro com uma perda dessa, você terá que contar com a sorte para que a ação suba 100%, só que na maioria das vezes isso não é possível, fazendo com que muitas pessoas percam o dinheiro ou fiquem até mesmo no negativo.

Dentro desse meio, temos dois tipos de opções: Call e Put.

A Put é uma opção de compra onde você adquiri o direito de vender alguma ação.
A call é uma opção de compra, onde você adquiri o direito de comprar alguma coisa, sendo físico ou financeiro, por exemplo: Vamos supor que você queira comprar um carro que está sendo vendido no valor de R$ 30 mil, porém você não tem esse dinheiro, o que pode acontecer nesse caso?

O vendedor pode te vender um “contrato” com data de validade, te dando o direito a comprar o carro (ele pode vender esse contrato por quanto ele quiser), no entanto, se ultrapassar o prazo de validade e você não adquirir o produto, o contrato simplesmente vira pó, ou seja, deixa de existir.

Vamos supor que você tenha fechado o contrato com o vendedor por R$ 2 mil em novembro, e o prazo de validade do contrato ficou até o dia 20 de dezembro, no final as contas seriam: o valor do carro (R$ 30 mil) + valor do contrato R$ 2 mil: R$ 32 mil. Nesse meio ainda existem dois tipos de opção de compra: a Americana e Européia.

Opção Européia e Americana

No Brasil dentro do âmbito de compras, a opção mais utilizada é a Americana, onde você consegue exercer o seu direito de compra a qualquer momento, até o prazo de validade. A opção Européia você só pode exercer o seu direito no dia de vencimento do contrato, então se o contrato vence no dia 20 de dezembro, o negócio será válido apenas nesse dia.

Suponhamos que você esteja no modelo Americana, então se você está no dia 25 de novembro com o contrato até o dia 20 de dezembro, e nesse meio tempo o vendedor aumentou o valor do carro de R$ 30 mil para R$ 40 mil, você pode exercer o seu direito sobre ele, pagando o valor original= R$ 32 mil (valor inicial do carro + valor do contrato). Depois que você já tiver o carro pelo seu valor normal, poderá vende-lo por R$ 40 mil ou então guardá-lo com você, ai vai de sua escolha.

No modelo Europeia, como dito anteriormente, você só pode exercer no dia do vencimento independentemente do valor do carro. Portanto, ele pode estar R$ 100 mil e pode cair para R$ 30 mil, ai não compensaria você comprar porque o valor ficaria muito abaixo, e talvez você não conseguirá vende-lo. Conclusão: você deverá prestar muita atenção na opções de compras pois as taxas variam muito, vamos entender por quê isso acontece.

Oscilações das opções

Vamos pensar primeiro na opção Americana. Algumas coisas podem acontecer dentro do mercado, como: disputa do carro, todos querem comprar e acaba esgotando o produto, a outra opção é o valor do carro de R$ 30 mil subir para R$ 50 mil, quando isso acontece, o valor do seu contrato acaba mudando as vezes valendo mais de R$ 20 mil (só o contrato, fora o valor do carro), no final, acaba não valendo a pena comprar o produto, muitas vezes fazendo as pessoas venderem esse direito. O que queremos dizer com isso?

Quando você compra um direito e em porcentagem aumenta o produto ou ação que está dentro do seu contrato o valor da sua opção aumenta, então uma opção que você comprou por R$ 1 mil reais, e a ação subiu para 20%, ela passa a valer R$ 8 mil, ou seja, ela aumentou de acordo com as contas e parâmetros detalhados da compra da ação (basicamente você lucrou com muito mais do valor inicial), lembrando que isso é valido somente até o dia do vencimento. Isso parece ótimo não é mesmo?

Mas o contrário também acontece, porque você pode comprar várias opções do contrato e esperar vende-las (sendo possível um aumento, ou uma queda drástica no valor).

Lançador x Titular

O Lançador foi aquele que lançou um direito de vender a ação (ou o carro nesse exemplo) que pode ser exercido ou não, porém se ele lançou o produto e não o possui ele é um cemitério do malandro (os que enxergam a bolsa como um jogo, lugar onde se tenta a sorte) e pode acabar em maus lençóis, e devido a isso terá que ir atrás do produto para entregar caso seja exercido. Já o titular é você, que adquiriu esse contrato de direito de compra do lançador.

Vencimento das opções

Vamos a data de validade das opções, o vencimento da B3 ocorre sempre na 3º segunda-feira do mês, isso só muda caso seja feriado no dia, então o vencimento para a ser na terça-feira, caso o contrário permanece sempre no mesmo dia, e se naquele dia você não exercer, já sabe né? Vira pó. Quando você sabe o vencimento de sua opção existem várias séries que você precisa conferir, sendo 12.

  • A: Janeiro
  • B: Fevereiro
  • C: Março
  • D: Abril
  • E: Maio
  • F: Junho
  • G: Julho
  • H: Agosto
  • I: Setembro
  • J: Outubro
  • K: Novembro
  • mercadoopcoes1L: Dezembro

Vamos supor que a opção seja Petrobras, então aparecerá PETRA (opção cujo o vencimento é na 3º segunda-feira de Janeiro). PETRB (vence na 3º segunda de fevereiro) e assim por diante.

Strike

Strike é o valor de exercício da opção para o seu ativo que está previsto no contrato. Para ficar mais claro vamos pensar no carro que você comprou o direito, ele estava valendo R$ 30 mil, então esse é o strike dele. Portanto mostraremos um exemplo na prática: PETRF22, isso significa que é uma call da Petrobras que irá vencer na 3º segunda-feira de Junho por R$ 22 reais, porém você deverá estar atento ao seu sistema, como o homebroker para ver se esse preço não teve algum ajuste ou algo do tipo.

Se de 22 ela foi pra 25, ela estará valendo mais 3, então se você colocou R$ 1 mil, ela estará valendo R$ 3 mil, e assim por diante, quanto maior o aumento, maior o valor da sua opção. Você não precisa necessariamente exercer a ação, mas sim vende-la quando ela estiver valendo mais do que o habitual, ou seja, do que você comprou inicialmente.

Outro exemplo: VALEC50, você está adquirindo um direito de comprar a vale por 50 reais que vence na 3º segunda-feira de março, e o lançador propôs a opção por 0,50 centavos e no outro dia a vale subir para 52 reais, sua opção estará valendo praticamente 2 reais, nessa opção você poderá vender as suas opções, ou seja se você comprar por R$ 50 mil, poderá vende-la por R$ 200 mil e assim sucessivamente.

Caso a Vale caia para 48 ou 47 reais, já não valera mais a pena e você pode perder o seu dinheiro, porque talvez não irá conseguir vender as opções por 0,2 centavos (a porcentagem da opção também cai) e não irá exercer da ação, porque é uma furada pagar 50 reais pela vale se ela está valendo apenas 47, o mais indicado nesse caso é aceitar que perdeu e deixar o contrato vencer.

Deu para perceber o quanto oscila o mercado de opções? Não é aconselhável operar por essa modalidade porque os riscos de perda são enormes levando investidores inexperientes a falência. Se mesmo conhecendo as opções você queira tentar investir, a dica é, pesquisa algum analista que entenda sobre essa parte do mercado e que saiba a hora que você deve parar de comprar um call de uma ação, é preciso muita atenção e conhecimento para não levar a grandes prejuízos. Existem outras modalidades e formas com menos riscos para você investir.